Arquivo do mês: fevereiro 2011

menos é muito mais

Antes tarde do que nunca, é bom comentar sobre a festa carioca Menos que vem rolando num casarão bem embaixo dos Arcos da Lapa. A festa virou o novo hype do undergroundo no Rio e tem levado os top DJs da cidade maravilhosa – Cau Lopes, Tatá, RM2, Pedro Piu entre outros – a tocar e se divertir na festinha despretenciosa organizada pela Sandra Mendes. A festa começou há pouco tempo e quando estive no Rio, no final de janeiro, muita gente veio me falar da festa da Sandra, que a pista de dança é no pátio externo do casarão, as bebidas são baratas, o som é ótimo e as loucurinhas clubber são muitas.

E hoje (25/2), a Sandra leva a festa pro centrão de São Paulo! O motivo maior da Sandra é comemorar aniversário na sua cidade natal. Mesmo que você só lembre dela da gerência do club Dama Ferro, a Sandra foi do time underground paulistano nos anos 80/90, tipo Madame Satã – não ela, o club Madame Satã. Apesar que a Sandra faz uma linha “madame satã”,  tiradas ácidas e engraçadas em vestidinhos de brechó. Uma mistura de B-52’s com Sex Pistols.

A festa Menos rola logo mais no Trackers, espaço absurdo que hospeda a festa mais under do que ground Voodoohop, ao lado da Galeria do Rock na Av. São João. A Sandra importou do Rio os DJs Rafa RM2 e Tatá, e ganhou de presente dos amigos Atum e Marcio Vermelho que também fazem a trilha do aniversário.

Sobre o conceito da Menos, a própria Sandra escreveu no facebook: “Com a mesma idéia, atitude e confiabilidade, nossa festa vai até São Paulo. MENOS pretensão, mais diversão. -MENOS produção, mais soluções.” Ela mesma, uma bartender de primeira, vai cuidar do bar lá na Trackers.

Feliz aniversário, Sandra!

E vc leu em tempo de ir na festa? Se joga!!! Garanto que a noite vai ser incrível, mas eu vou me jogar na noite aqui da Lagoa da Conceição, em Floripa, por hoje. Tem o bar/lounge/club Vecchio Giorgio e o pub inglês Black Swan com programação legal.
MENOS

Sexta 25/2 – Trackers (veja endereço: www.trackers.cx) – Entrada R$15

NÃO SE ACEITAM CARTÕES, APENAS DINHEIRO!

1 comentário

Arquivado em Entretenimento, festa

anti-social inaugura hoje no baixo augusta + outras festinhas

Inaugura hoje o clube Anti-Social, no Baixo Augusta. Noutro dia falei do clubinho aqui e aqui. Dessa vez o novo clubinho abre mesmo e tem programação confirmada de quinta a sábado. Na noite de hoje rola a festa Chaos dos DJs Henrique Zombie e Fernanda Martini, que tem como convidada a banda Dirty Deeds que faz covers do AC/DC.

Na sexta vai acontecer a festa Heat the Beat da promoter Vanessa Cris e que tem como residente de luxo Renato Cohen. A Vanessa me disse que o projeto deverá ser mensal, mas o clube não informa no site outros projetos pras sextas-feiras.

E aos sábados, chamados Red Light District, haverá revezamento de festas durante o mês. Pra começar, no próximo sábado tem festa sem nome (?) com os after hour-DJs Oscar Bueno (Paradise) e Pil Marques (Hell’s) e ainda o espanhol Dokser e o projeto 13th Floor. A festa não é after, tá?

A novidade mais quente do Anti-Social é o (eterno) retorno do after hours Hell’s Club. Pil Marques já nos havia confirmado a ida pro novo clube. Pil e Mau Mau voltam a atacar nas manhãs de domingo.

E o site do Anti-Social informa que os projetos Confusion e Blow Up também terão residência na casa. Confusion é uma noite de nu jazz, funk, break beat e down tempo que vai acontecer numa segunda-feira mensal. A festa é comandado pelo coletivo Matramba de arte e design. O projeto Confusion é na verdade um programa de rádio/tv online que vai ao ar toda segunda, das 21h às 23h. No comando estão Gallardo e Alberto Roberto com seus convidados tocando afrobeat, jazz, funk, soul, blues, ska… A festa Blow Up, sem data confirmada, é encabeçada pelo DJ Rodrigo Moretti e vai na linha musical da eletrônica – house, electro, techno.

* * * * * * *

Hoje é dia de kiriDJinha no bar Volt com DJ Atum recebendo Luca Lauri e Daniel Peixoto (ex-Montage). Os DJs sentam no sofá a tocam sets especiais com músicas que adoram e não tocam nos clubes. Em esquema happy hour, a kiriDJinha vai das 21h às 2h30 e a casa cobra consumo mínimo de R$15.

Em março a kiriDJinha completa 1 ano de vida!!!

Hoje também tem a balada dupla Black Jack & Chemistry no Lab Club. Tanto o Anti-Social, o Volt e o Lab ficam na região do Baixo Augusta! Entre os muitos DJs da noite de hoje no Lab: Spavieri, Ney Faustini, Mark Rocha e Hero Zero. A promoter é a descolex Nega Jaca.

* * * * * * *

Amanhã comento os destaques do Carnaval em São Paulo, Rio e Floripa, e também sobre a festa Menos, novo hype carioca nos arcos da Lapa que tem no comando a barwoman Sandra Mendes. Até amanhã!

 

2 Comentários

Arquivado em bar, club, Entretenimento, festa

kiriDJinha #20

As kiriDJinhas da vez são os DJs Luca Lauri e Daniel Peixoto. Os dois avisam que vão tocar novidades que andam compondo e remixando, além das velharias que nunca pararam de ouvir.

Daniel Peixoto é o performático cantor cearense que encabeçou a banda Montage e acaba de lançar o disco “Mastigando Humanos” com inéditas que foram remixadas por vários produtores. Pra ouvir o som do Dani: soundcloud e no site dele que dá pra baixar todas as músicas de graça!

Luca Lauri é um dos DJs de house mais descolados de São Paulo e já fez par com Liana Padilha no projeto No Porn. Pra ouvir o som do Luca: soundcloud e deepbeep.

DJ Atum faz as honras da casa com seus velhos discos de vinil. Vai ter muitas trilhas de novelas! Pra ouvir os sets incríveis do Atum: soundcloud.

Quinta, 24/2 – a partir das 21h (o bar abre às 20h)
Bar Volt – Rua Haddock Lobo, 40 – São Paulo

Consumação mínima R$15

Deixe um comentário

Arquivado em bar, Entretenimento, festa

chemical brothers, vagabundos e kate simko no brasil

Chemical Brothers: luzes da ribalta

A boa nova que acaba de cair na minha caixa postal é a vinda dos Chemical Brothers ao país. A notícia, que chegou via Agência Cartaz, diz que a dupla inglesa é a primeira confirmação estrangeira para a primeira edição paulista do festival Chemical Music, que vai rolar dia 30 de abril. E o esquema é rave: o local escolhido para os shows é a fazenda Maeda. O local já sediou o festival SWU, no ano passado e teve várias críticas à infra-estrutura, e várias raves Xxxperience.  O grupo No Limits é o organizador dos eventos na fazenda Maeda há algum tempo.

Esta deve ser a terceira vez que Ed Simons e Tom Howlands se apresentam no país. Eles vêm com a turnê do disco “Further”, sobre o qual você leu aqui no +1teko quando saiu no meio de 2010. Os shows têm a participação dos videomakers Adam Smith e Marcus Lyall que criaram e exibem videos bem viajandões para cada uma das faixas do disco/show. O press release diz que os Chemical Brothers não deixaram de fora velhos hits, como “Dig your own hole”. Boa oportunidade para rever um dos nomes mais emblemáticos da música eletrônica mundial que completou 15 anos de carreira.

O time nacional já tem escalados os DJs Gui Boratto, Gustavo Bravetti e Leo Janeiro e os projetos The Twelves e Life is a Loop. Os ingressos estão à venda em diversos pontos, principalmente shopping centers, de São Paulo, Campinas e outras dez cidades do estado de São Paulo. Também dá para comprar online. O site do festival Chemical Music ainda não estava funcionando quando esse texto foi escrito.

* * * * * * * *

Vagabundos – Dias antes dos Chemical Bros, no dia 23 de abril, quem desembarca no clube catarinense Green Valley é a caravana do top DJ chileno-suíço Luciano. Segundo o DJ Tiago Rangel, da produção do evento, a trupe do selo Cadenza traz a festa Vagabundos, que fez bastante sucesso na temporada passada em Ibiza e toca em breve no carnaval de Veneza. “O conceito do espetáculo vai além da música, da decoração anos 30 e da interação e caracterização do público, a idéia é aliar a diversão com a informação musical, emocionando a todos, dos tradicionais aos vanguardistas”, conta Tiago. Quem organiza a vinda do grupo é a agência Tríade Brazil.

* * * * * * *

Kate Simko: relax

Dos States – E pra quem não quer esperar tanto, tem vários gringos se apresentando pelo país e o destaque hoje – quarta 16/2 – e a DJ e produtora norte-americana Kate Simko. Ela toca hoje no clube Tapas, na Rua Augusta, na festa Under_Line que fez parceria com a agência argentina Malevo Bookings. No reduzido cast figura o DJ Udolph, dono do descolado clube Cocoliche que fica no térreo e porão de um prédio meio abandonado no centro de Buenos Aires e que recebe vários top DJs internacionais. A dupla de VJs intitulada vjsuave também está no cast da Malevo e se apresenta na festa hoje.

Kate Simko vai na linha minimal-experimental-tech house e lança pelos selos Spectral Sound e Ghostly International. Há um ano, fiz um booking pra ela no D-Edge, mas infelizmente não pude ir e hoje novamente ficarei de fora de conferir o set dela, cotada como uma das DJs mais cool dos Estados Unidos que figura no top ten dos melhores DJs de Chicago pela revista XLR8R.

1 comentário

Arquivado em Entretenimento, festa, festival, show

marcin czubala; back to back vol.5, mobilee records


Hoje não é dia dos namorados no Brasil, mas como o mundo é globalizado estão todos comemorando. Ou será que ainda temos aquele complexo de que tudo que vem de fora é melhor? Enfim, hoje comemora-se Valentine’s Day e tem um presentinho pros apaixonados direto de Berlim. O produtor polonês Marcin Czubala e a gravadora Mobilee disponibilizaram, desde ontem aqui, a música “Valentin’s Day” para download gratuito. A faixa é parte da campanha de lançamento, no dia 28 de fevereiro, do CD duplo “Back to Back Vol.5”, no qual ela não está. Dá pra ouvi-la abaixo

 

Há duas semanas, o disco “Back to Back Vol.5 – Presented by Marcin Czubala” aterrissou no +1teko. As produções de Czubala são muito boas, numa mistura de easy listening, grooves orgânicos com minimal techno e house. Pode parecer meio estranho eu combinar esses gêneros pra descrever o som, mas é basicamente o que tenho notado estar em voga em Berlim entre o povo que vai deixando o minimal de lado. Essa coleção “Back to Back” da Mobilee já teve como compiladores/produtores – Sebo K, And.ID, GummiHz, Miss Jools e Anja Schneider – que invariavelmente dançavam no ritmo minimalista-berlinense. A ideia é que o disco 1 seja sempre uma compilação dos melhores e novíssimos lançamentos do selo, e o segundo disco apresente novas composições do convidado.

No caso deste volume 5 de Czubala (pronuncia-se “xubala”), ele montou uma inspiradora seleção que inclui, na ordem do CD: Dan Curtin (“Free”), Vincenzo (“Young mountain edit”), Miss Kittin (“All you need”), Anja Schneider (“Pushin”), And.ID (“Erotica”), Rodriguez Jr (“Okra carnival edit”), Pan-Pot (“Captain my captain”), Czubala & Hugo (“Zoo comunale”), Daniel Stefank (“Tripiando los colores”) e Sebo K (“Spirits”-drum version). Um set prefeito, começa lento e vai indo entre o electro e o techno. E a maioria das faixas tem vocais! Os clubbers querem cantar!!! Grande parte dessas músicas estão disponíveis em streaming no soundcloud da Mobilee.

No segundo disco, Marcin Czubala solta dez faixas inéditas, umas com colaborações bem bacanas – Catz’n’Dogz, Metrobox, Novika (cantora polonesa), Affkt e Jozif. Cada faixa tem um toque especial, às vezes bem dançante noutras vezes mais ambient. Vocais e instrumentos musicais gravados ao vivo (sopros e percussão) foram inseridos nas músicas, o que dá um tom orgânico e retrô no techno/tech house do produtor polonês. A versão remixada de “Loose the man”, feita pelo londrino Jozif Goodwin, tem uma levada bem lenta de disco music; bem interessante. O disco está acima da média dos lançamentos de techno atualmente, ao meu ver.

Marcin Czubala vive em Poznan, Polônia, e esteve no Brasil em 2009 tocando nos clubes D-Edge (SP) e Hause (Campo Grande-MS). No vídeo a seguir, Marcin toca no iluminado SQ Klub, em Poznan.

Olha só onde o cara foi parar!

Deixe um comentário

Arquivado em lançamento, Música

hampton court palace london

+1teko com nova imagem. A foto é do querido Fábio Tavares, que está morando em Londres. Incrível!

2 Comentários

Arquivado em Artes, fotografia

music all day saturday

Se você estiver saindo de algum inferninho ou chill out dus infernus na manhã de sábado, ainda dá pra esticar até o domingo de manhã. Tudo bem que vai ter uma pausa pro almoço e pra siesta, mas a partir o final da tarde do sábado a boa é a Sunset Party nos jardins do MIS e MuBE. Daí tem mais um tempinho pra descansar, jantar e correr pra reestreia da festa Paradise, agora no clube Hot Hot.

Silver City: tarde quente no jardim

Tarde de sábado – O duo argentino Silver City é o convidado da terceira edição da Sunset Party, que começa às 16h com o excelente DJ Tahira em free style com sons brasileiros, latinos e africanos! Já o Silver City é formado por Julian Sanza (teclado e programação) e Fernando Pulichino (baixo e DJ) apresenta uma mistura de jazz, house e disco music. A performance ao vivo acontece às 18h (esperamos que não haja atraso) e é o ponto alto da festa; das 19h até as 22h o Silver City apresenta um DJ set à quatro mãos. O legal da Sunset Party é que é de graça e acontece ao ar livre, embaixo das árvores dos jardins do MIS e MuBE, e reúne muita gente legal em clima de pic-nic. Aviso: é bom se precaver e deixar umas bebidinhas no carro porque as filas no bar do MIS são bastante longas e a cerveja acaba logo!!! A organização do evento é do booker e produtor cultural Marcos Guzman, com patrocínio do uísque Passport e tem apoio da Puma, Centro Cultural da Espanha, MIS e Secretaria de Estado da Cultura.

+1teko de Silver City – Julian e Fernando começaram sua carreira em 1999 no grupo Ciudad Feliz em Mar del Plata, Argentina. Em 2002, mudaram-se para a Inglaterra e formaram o projeto 2020 Soundsystem com Ralph Lawson, dono do selo 2020 Vision, com quem têm se apresentado em diversos festivais ao redor do mundo e recebido grandes elogios da imprensa internacional. Fizeram parcerias com a dupla paulistana Minima, que você ouve abaixo.

Na penumbra: Oscar Bueno

Noite – O after hours Paradise volta à ativa, dessa vez no clube Hot Hot a partir da meia-noite do sábado (12/2). Agora em versão mais longa, o Paradise deixa de ser apenas after hours e engloba toda a noitada de sábado pra domingo. Da meia-noite às 4h rolam bandas, performances e live acts, mas a noite de reabertura vai no velho esquema DJ set com Márcio Vermelho, seguido do live act Dada Attack. Abertura um pouco conservadora se a ideia é mudar. A partir das 4h é esquema after hours, que terá nessa primeira festa as duplas de DJs: Mauro Farina e Ben Men, Bueníssimos, Mr Gil e Mimi, Darick Giorgy e Rafael Rosa. A promoção é da Rizza Bonfim, que juntou uma turma de descolados pra outras funções na festa, o que já dá um ar de reciclagem ao Paradise After Hours que agora assina como Paradiseparty.biz.

Conversei rapidamente com Oscar Bueno, o cara que inventou o Paradise no fim dos anos 1990 no clube Lov.e, e depois de três anos lá, circulou por vários clubes até se fixar no D-Edge, de 2003 a 2010 quando saiu em dezembro em busca de mais espaço para o conceito da festa. O Paradise saiu do D-Edge na esteira do Cio, que deve entrar no rol de festas do aguardado clube de Alex Atala, mas isso é fofoca ainda. Voltando ao paraíso… Oscar também contou sobre novidades que o Hot Hot implantou para facilitar e melhorar a infraestrutura da casa.

+1teko – Já que o Paradise agora tá em novo horário, será que o after vai desandar? Será que a fórmula after hours ainda rende? E a gente não tem mais after em São Paulo, né? (O Hell’s deve retornar à cena no club Anti-Social.)
Oscar Bueno – Na verdade, o forte do Paradise é o horário matutino e acho que o melhor sempre fica para o final. Ou seja, a cereja do bolo está no after! E vai ser muito bom não ter nenhuma festa antes do after nos pressionando e querendo engolir nosso horário. Estamos mais livres, o sábado é todo nosso. A praça é nossa! kkkkkkkkkkk
+1teko – Você acha que o Paradise vai pegar no Hot Hot? É que o clube deu umas caídas, primeiro quando o Lions abriu e agora com o D-Edge 2.0 e um monte de clubinhos na Augusta.
Oscar Bueno – [O Paradise] Vai ser a noite mais conceitual da casa e vai unir perdidos e órfãos do underground. Fora que as mudanças que exigimos no Hot Hot  são fundamentais. Porque ninguém aguenta subir escada pra beber, então vai ter mais um bar embaixo, que servirá drinks. E agora vai ter camarotes nas laterais, tipo no Lov.e., serão quatro, dois de cada lado da pista. Também vai ter mudança no sistema de pagamento, que será com cartão pós-pago, como nos outros lugares. Não teremos pulseirinhas VIP, o Hot Hot tem mais cara de carimbinho!
PS: Como no antigo Lov.e, Flávia Ceccato manteve o uso de carimbinho no pulso das VIPs. Nos outros clubes costumam-se usar pulseiras plásticas ou de papel para designar em qual nível você se encontra na festa.

3 Comentários

Arquivado em cidade, club, dj, Entretenimento, festa, festival, Música, Variedades