habib’s nunca mais

SOBRE A POLEMICA DOS 28MINUTOS DO HABIB’S CLIQUE AQUI.

Depois que me contaram o porquê do preço tão “camarada” das esfihas do Habib’s decidi não voltar mais a tão famosa rede de fast food árabe. A carne utilizada para as esfihas baratinhas é a da cabeça do boi!!! Carne de última! Já tá com o estômago embrulhado? Para desanuviar o mal-estar dou alguns endereços em São Paulo onde se pode saborear comida sírio-libanesa ou árabe da melhor qualidade.

No sábado passado, finalmente fui com meu expert em comida libanesa DJ Atum (de ascendência libanesa, Atum vem de Hatoun, que algum escrivão teimou em aportuguesar) conferir a tão falada Casa Líbano (rua Barão de Ladário 831 – Pari). Ficamos surpresos com a ótima apresentação da casa e a simpatia do seu Mohamad que veio nos mostrar uma bela foto de Beirute. A comida é de primeiríssima linha, sugiro experimentar o quibe cru que tem um tempero que nunca tinha saboreado. Os michuís são muito bons também e a casa serve várias sobremesas deliciosas. Quem preferir apenas um sanduíche pode pedir um kebabe, que é grande e bem recheado pelo que vi. Os pratos são servidos em meia porção também, o que facilita para experimentar algumas comidas diferentes. O mais importante da Casa Líbano é que só lá, em São Paulo, são servidas carnes halal. A palavra árabe siginifica legal ou permitido. Veja abaixo sobre halal.

A Esfiha Juventus (rua Visconde de Laguna 152 – Mooca) é outra casa que serve deliciosas esfihas, quibes (inclusive recheados com catupiry, homus ou coalhada seca) e outros quitutes libaneses. A sugestão é o charuto de uva rechaedo, que vem em porção generosa e é barata. A Juventus fica na Mooca e o nome, é óbvio, vem do time de futebol local. Em breve haverá serviço de entrega, que deve se limitar ao bairro.

As kebaberias viraram moda na cidade e conferi três restaurantes que servem esse sanduba árabe que se espalhou pela África e Europa também. Em Pinheiros fica o Pita Kebab (rua Francisco Leitão 282) que serve kebabe de cordeiro duas vezes na semana e tem saladas deliciosas e baratas. O lugar é muito bonito e vale a pena passar para beber uam cerveja com os amigos e saborear os delicosos kebabes a preços camaradas. Preço bom também tem o Kebabel (rua Fernando de Albuquerque 22, Consolação) que serve diversos kebabes e outros aperitivos em um pequeno bistrô. O problema é conseguir um lugar para sentar e ter de enfrentar a lotação dos dois bares na esquina com a rua Augusta. Próximo ao Espaço Unibanco de Cinema fica o Salonu (rua Augusta 1416) que é mais sofisticado mas os preços são mais salgados, e o kebabe me parece menos recheado que nos dois restaurantes citados acima. Lá servem-se outras comidinhas árabes e refrescos exóticos como o de rosas.

Outros ótimo endereço de cozinha árabe ou sírio-libanesa é o restaurante Folha de Uva (rua Bela Cintra 1435 – Jardins), que serve um delicioso m’hallabye (malabí) – típico manjar de leite com água de flor de laranjeira e calda de damascos. Aos sábados algumas lojas da rede Jáber vendem o malabí, como a que fica na rua Mourato Coelho 383, em Pinheiros. No Espaço Árabe (rua Oscar Freire 168 ) também tem essa delícia doce.

Halal

Na verdade todos os alimentos são halal para os muçulmanos com exceção de: carne de porco e derivados, animais abatidos de forma imprópria ou mortos antes do abate, animais abatidos em nome de outros que não sejam Alá, sangue e produtos feitos com sangue, álcool e produtos que causem embriaguez ou intoxicação, e produtos contaminados com algum dos produtos anteriores.

Os animais devem ser abatidos segundo os rituais islâmicos (Zabihah) que são:

1- O animal deve ser abatido por um muçulmano que tenha atingido a puberdade. Ele deve pronunciar o nome de Alá ou recitar uma oração que contenha o nome de Alá durante o abate, com a face do animal voltada para Meca.
2- O animal não deve estar com sede no momento do abate.
3- A faca deve estar bem afiada e ela não deve ser afiada na frente do animal. O corte deve ser no pescoço em um movimento de meia-lua.
4- Deve-se cortar os três principais vasos (jugular, traquéia e esôfago) do pescoço.
5- A morte deve ser rápida para evitar sofrimentos para o animal.
6- O sangue deve ser totalmente retirado da carcaça.

35 Comentários

Arquivado em cidade, gastronomia

35 Respostas para “habib’s nunca mais

  1. nem precisa perguntar , vc vai receber a sua chave em casa, no conforto de seu lar…
    bjs
    v.

  2. nanda

    adorei o post. Todos os matadouros deveriam usar o método Halal. Entra no link de uma amiga (Dedé) ela escreveu sobre as empresas que usam animais indevidamente pra testes. Tipo…..”Estupra mas não mata”…pô!!!

  3. nabas

    tcheibasss pergunta :

    Esfiha com carne de testiculo de boi é bom ??

  4. Paulo

    A VERDADE DOS 28 MINUTOS…

    Sou motoboy (funcionário direto do Habib’s) e creio que vcs precisam saber a verdade dos 28 minutos.
    Antes disso, gostaria de ressaltar que a grande maioria dos motoboys são pessoas honestas e trabalhadoras, que enfrentam as mais diversas situações para ganhar a vida e manter suas famílias, sem precisar usar de atos ilícitos ou criminosos para ganhar “algum” a mais.
    Bem, a verdade é que o motoqueiro que tem na realidade 15 minutos para entrega, pois 13 são da cozinha, muitas vezes temos que sair com 2 ou mais entregar para vencer os pedidos. “Estourando” os 28 minutos não pagamos o lanche do cliente, massssss perdemos uma bonificação substancial em nosso salário, pelo menos para nós. Um trabalhador que não ganha nada além da vergonhosa média nacional de salário. Perder até 120 reais de bonificação no mês, faz muita diferença no bolso de um trabalhador. Portanto, senhores este prejuízo é uma cobrança indireta por ultrapassar os 28 minutos.
    Eu desejo pedir demissão assim que eu possa, pois esta proposta do Habib’s é muito interessante (para eles), pois se eles perdem de um lado eles tiram de outro… Vejam só o que achei na internet escrita por um ex-cliente do Habib’s…muito interessante…
    ———————
    Alô Tia Eda,

    Quando falamos em qualidade de vida e responsabilidade social, devemos iniciar a prática dentro de nossa própria casa, depois na nossa rua…no nosso bairro…na nossa cidade.

    Partindo desta premissa, observamos e escutamos alguns de seus funcionários. Os que mais nos chamaram atenção foram os Motoboys.

    Ainda se não bastasse a vida sofrida que levam enfrentando: chuva, frio, trânsito caótico, riscos de acidente, assalto, etc… Ainda enfrentam dentro das franqueadas Habib’s o compromisso do tempo de 28 minutos que muitas vezes colocam ainda mais à vida destes heróis em risco.

    Se, considerarmos o tempo da preparação dos alimentos em 15 minutos, restam apenas 13 minutos para estes profissionais efetuarem a entrega propriamente dita. Pelos comentários dos próprios entregadores quando o tempo excede 28 minutos o cliente não paga o pedido e o entregador também não paga diretamente, mas indiretamente estará pagando através da subtração de uma premiação mensal de desempenho, o que muitas vezes custa mais caro do que o valor do ticket médio.

    Deixo registrado em nome de minha família, nossa indignação por tal fato, eles não merecem tal punição por serem trabalhadores bravos guerreiros, que colocam a vida em risco para ganharem o pão de cada dia.

    Acreditamos que a maioria dos clientes concensiosos concordariam com nossa opinião e também deixariam de efetuar pedidos no Delivery, para que não sintam-se culpados por um eventual sinistro que venham o ocorrer com estes heróis.

    Sabemos que o tempo de 28 minutos é um importante apelo de marketing e algo muito positivo para a geração de resultados nas franqueadas. Mas, à partir do momento que coloca a vida de pessoas em risco passa a ser uma abominável estratégia pelo ponto de vista do consumidor, cliente Habib’s.

    Portanto, em nome de uma verdadeira responsabilidade social e da livre iniciativa, abriremos mão deste benefício para salvaguardar este guerreiros e estaremos falando com nossos amigos e vizinhos para que façam o mesmo. Voltaremos a efetuar pedidos no Delivery quando as regras mencionadas forem extintas ou pelo menos reavaliadas e reformuladas.

    Agradecemos a atenção especial ao fato.

    Atenciosamente,

    Pedro
    _____________———

    É isso, embora tire meu sustento deste trabalho, acredito que o boicote ao delivery do Habib’s é um bom caminho para forçar (ELES) a repensarem nesta “sujeira” com o motoboy, bravo guerreiro.

  5. Amiguinho motoboy. Penso pelo seguinte lado: Você só está empregado porquê EXISTE o tal delivery. Bom ou ruim, é ele que bota o leite dos seus filhos na mesa. Se todo mundo boicotar ele deixa de existir e o senhor e a senhora sua patroa ficam sem a suada bufunfa. Também sou motoqueiro e acho um desaforo isso que fazem com vocês, mas acho que o boicote não é o caminho.
    Abraços e Boa Sorte.

  6. CidadaoModelo

    Ao Motoboy do post anterior:

    – Primeiro, se está insatisfeito saia do emprego e procure outro. Sugerir boicote? Pra quê? Pra te mandarem embora? Se quer sair saia por você, sem precisar de nenhum “empurrãozinho”. (de preferencia arrume uma outra ocupação, seria um motoboy a menos pra causar acidentes)

    – Heróis, Bravos, Guerreiros ?!?!?!? Vcs são é uma cambada de FDP que não respeitam as leis de trânsito, causam inúmeros acidentes por imprudência, com esses acidentes causam ainda mais trânsito e, ainda por cima, arriscam a vida de motoristas que são obrigados a “dividir” o trânsito com vocês e suas “cagadas”, já que aqui é o Brasil e o que reina é a impunidade.

  7. Bia

    MOTOBOY com um português desses ? Poupem-me. Comentário mais fake impossível !

    • Juliana

      Bia, motoboy é uma profissão digna como qualquer outra, só porque o cara sabe se expressar bem, não significa que o comentário é falso, você que é inútil, e fica rebaixando a profissão dos outros. Ele além de saber se expressar, concerteza deve ter mais carácter que você ;

  8. Concordo com o Cidadão Guerreiro. Não tem nada de bravura ou heroísmo em ser motoboy. É apenas uma emprego de merda, mal remunerado e arriscado. Ninguém vira motoboy por sua extrema coragem. Vira motoboy por ser incompetente e/ou por não ter estudo.

  9. yokai

    Olha deixem-me avisar uma coisa… motoboys são forçados a fazer essas coisas… eu não sou um, mas acredito que nem todos sejam ruins como voces falam, e tem mais, o transito brasileiro é tão ruim assim pq tem motoristas imprudentes (não sómente motoboys mas de veiculos de quatro rodas [Leia-se carros] tb) e motoristas que são um bando de FDP como o senhor CidadaoModelo, e pra finalizar: eu concordo com o boicote, ele pode ser dificil de aturar para o trabalhador ai em cima, mas creio que é uma chance de eles verem o erro.

  10. Glaucio Faria

    Será que só a Bia percebeu? Português muito bem utilizado para ser motoboy. O texto é mais falso que gemido de pu7a.

    • Rômulo

      motoboy deve ser burro?
      Bia e Glaucio Faria, me poupem desses comentários, somente executivos podem ter um bom portugues?ou simplesmente são contra a alfabetização?
      ridiculos

  11. Andressa

    Não Sabia Bia que Motoboy era sinônimo de analfabeto.
    Puro preconceito. Deprimente.

  12. motoboy tem que sentar no colinho do patrão

  13. Carolina

    Muito preconceito.
    Antes de criticar, aprendam a interpretar. O cara colou um texto defendendo o trabalho dele… A pior coisa que existe é um hipócrita tentando fazer uma pessoa humilde passar por ignorante.
    Se vc tem um prazo pra entregar uma parada, e se aumentar tua renda depende desse prazo, é plenamente justificável que vc queira esse cumprir o prazo mesmo que custe manobras arriscadas no trânsito. Não acho que os fins justificam os meios, mas a culpa do trânsito ser desse jeito não é só dos motoboys. Tem muito motorista de carros por aí que parecem ter feito o teste no Detran por telefone. O trânsito ser assim é muito mais culpa de condições adversas como pistas ruins, semáfaros demorados, cruzamentos perigosos, etc, do que dos motoristas.
    Boicote? Não sei se é o melhor caminho… O ideal é divulgar a realidade pra que as pessoas tomem conciência do que acontece de verdade.

  14. Zen

    Concordo que não existe “heroísmo” em ser motoboy tanto quanto não existe heroismo em ser usuário de transporte público, é só um fato da vida.

    Nem todo motoboy é ignorante ou faz isso por não ter instrução educacional. Nem todo motoboy é um escroto. Nem todo motorista é um escroto também. A generalização é “geralmente” burra. O sistema de penalização HAbbib’s existe e não precisa ser motoboy do pra saber disso.

    Quanto ao boicote, o comentário logo abaixo do motoboy deixa bem claro o resultado. Sem pedidos delivery, sem necessidade de motoboys, motoboys são demitidos, sem dindin nenhum pra motoboy. O movimento de “boicote” nunca deve partir dos clientes, senão o mercado se adapta. As reinvindicações tem que vir sempre do trabalhador, já que é a única forma de “forçar” o empresário a adaptar suas condições de trabalho. Não endossem boicote de consumo, já que boicote de consumo só alivia pra uma pessoa, o vendedor. Isso porque SEMPRE existirão compradores, não se iludam.

    Tenham menos preconceito, mais objetividade e melhor conhecimento de mercado… pelo menos a maioria dos comentaristas acima. E se o comentário é fake ou não, não interessa, ele é pelo menos parcialmente verídico e todo mundo aqui sabe disso.

  15. Pingback: habib’s nunca mais - motoboys vs. 28 minutos « +1 teku

  16. coisasdemarcelle

    Arrasou, moninha! Já estou preparando um roteirinho pra conhecer os lugares! Comi no Folha de Uva (ia com a Charlote, já me esquecí do gosto das coisinhas),Salonu (fiquei meio cagada depois,literalmente, saiba…), Espaço Árabe (as garçonetes são imbecís e demoram)…
    Louca pra experimentar o resto!
    Comí um sanduíche de falafel no Mama Leila, existe ainda? Era bom…
    Quanto ao menino da moto, avisa que eu sempre tenho uma bonificação separadinha aqui…sabe como é, o marido mora fora e de vez em quando eu não consigo me segurar, né fia?

    Kibe di Bokit

  17. algumas pessoas aqui realmente devem xingar um motoboy no trânsito quando estão exercendo sua raiva furiosa dentro do seu carro particular, mas querer entender o porquê das ações dos motoboys me pareceu para elas menos importante.
    o fascismo está mais perto do que parece!

  18. Eu quero mesmo, é que todos vão se foder!!! Como se todo mundo que está comentando aqui, se preocupasse com a vida do motoboy… se ele vai ou não receber o pedido dentro dos 28 minutos… Todo mundo só quer mesmo a a porra da pizza…!!!

  19. emy

    tenho uma dica de libanês incrível: chama-se Halim e fica na rua Dr Rafael de Barros , 56

    imperdível um quitute chamado Uzzi!

  20. fabio

    eu trabalho na central de distribuição do rio. e posso dizer com toda certeza que isso e uma mentira. isso e que de um invejoso que não tem o que fazer!!!

  21. pecegueiro

    ESFIRRA é com RR, e não com H.

    “Que burro da zero pra ele!!!”

  22. CiH

    Meu Deus…que isso…o problema pe do motoboy…bom que ele escreve correto…péssimo que diz que “concerteza”, não seria com certeza? Diz que ele deveria ser burro…povo sem noção total…Direito do motoboy reclamar, o trabalho é dele, problemas no trânsito existe com motoqueiros e motoristas irresponsáveis, portanto. Não sentem no rabo…

  23. Sara

    aff escreveu td erradoo mann !!

  24. Peter J

    Quer saber vai se fuder todo mundo, a carne do habibs é da vaca da mãe de vcs !
    e tem uma eu já tracei kkkkkkkkkkkk

  25. Ex-Motoboy

    A carne sempre foi ruin, mais fodas de onde vem do boi, continuo comendo quando estou com fome 🙂 … e o porra do motoboy que estiver insatisfeito em realizar o trabalho nestas condições que procure um melhor, se passar dos 28 minutos vou querer de graça mesmo !

  26. Angela

    Sou do Alô tia Eda, o motoboy tem razão, o Habib’s nos obriga a mentir para o cliente quando abrimos a reclamação que o pedido não chegou nos 28 minutos, quem paga é o próprio motoboy e ponto, por esta razão é que alguns motoboys são extremamente grosseiros com os clientes que na verdade só querem mesmo é comer de graça., tem cara de pau que chega a falar na maior cara dura que colocam cronômetro para contagem do tempo. Ora bolas, um homem desses nem merece o nome, é muita canalhice, porém d. Dilma Roussef acabou com a farra do boi e proibiu esse comércio enganoso e voraz em sua ganância a partir de ontem na lei 12.436 que entrou em vigor ontem e prevê punição para estabelecimentos que “incentivarem” seus motoboys a andar em alta velocidade para fazer entregas no menor tempo possível.

  27. Caroline

    “5- A morte deve ser rápida para evitar sofrimentos para o animal.”

    Não existe abate humanitário. Ainda mais com uma faca… Imaginem o objeto cortando a grossa pele do boi. Quase indolor (fui irônica).

    E que dizer do “Festival do Sacrifício” ? Google e Youtube, por favor (mas, atenção, são cenas fortes, e é preciso estar logado para ver os vídeos).

    Para quem come costela, fraldinha, baby beef, a meu ver , não faz muita diferença em comer carne localizada na cabeça bovina.

    É a mesma coisa quando alguém come carne, mas quando vê um
    “nervinho”, uma gordurinha já desprezam o alimento, por ser nojento.

    Uma dica de leitura é a matéria da SuperInteressante, que retrata como é feito o abate dos bovinos. A reportagem é curta e de fácil leitura, embora não seja agradável de lê-la.

  28. Hugo

    vai todo mundo dar o cu que assunto chato

  29. Johnc882

    Very informative post.Really thank you! Awesome. bgkgadgcfkda

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s