Arquivo do mês: julho 2008

shaun

Esse disco do Cansei de Ser Sexy CSS que saiu agora é realmente muito bom e muito bem produzido. Donkey não tem nada de burro! Faz o download aqui de graça e confira! A turma do CSS tá se jogando em Londres, como alguns amigos que hora e outra mandam sinais de fumaça de Berlim, Bucareste, Londres, Barcelona… Tá todo mundo se divertindo e trabalhando e se jogando e…. Fico pensando na virada que o CSS deu na carreira, mas parece que tudo foi muito natural, bastou ter carisma. E ter talento! Tem de debochar pra conseguir continuar! SUXXXX! Nessa leva vão vários produtores e projetos musicais se misturando (ou mixando) com o mundo todo.

Conversei com o Lars, que me acolheu em sua casa em Berlim no ano passado, e ele me contava que operou o joelho e que vai alugar um novo espaço pro estúdio (foto, vídeo, animação…) que tem com amigos. E ele me convidou pra festa de inauguração daqui 2 meses!!!! Disse que tem uma área externa grande, e é tipo um galpão! E com certeza vai ter festão! ai, ai… E olha o vídeo maluco que ele me mandou…>>> A seguir tem como ver o vídeo do Shaun the Sheep no meu youtube uma só vez, ou…

… ou se jogar nesse link aqui em azul e ficar meditando com Shaun the Sheep…

1 comentário

Arquivado em sem categoria

madonna!?

Tava achando que a Madonna não iria pelo mesmo caminho do Michael Jackson? Pois olha a fota que achei agorinha no site da Erika Palomino! O texto diz que a foto foi tirada na sexta-feira 25 quando Madonna saía do seu centro de cabala (acho que ela precisa de um centro de despacho!). O jornal inglês Daily Mail, que publicou a foto da linda, diz que “ela tem se mantido enigmática acerca de cirurgias cosméticas, dizendo ‘Eu certamente não sou contra cirurgia plástica, entretanto, sou totalmente contra ter que discutir o assunto'”.

3 Comentários

Arquivado em Música, sem categoria

go, speed! gooooo!!!!!

Speed Racer

(Fábio Fonseca/Fernanda Abreu/Herbert Vianna)

Cada dia que passa
É mais um dia que passa
Pra onde o destino me leva, eu não sei
Eu ando pela cidade, Speed Racer
Pela cidade, um Mach 5 cor de prata em alta velocidade
Em alta velocidade
De dentro do meu carro, eu vejo a chuva, o sol, o vento
E as nuvens dando voltas na Lagoa eu penso
A vida nem sempre é boa
A vida nem sempre é boa
Até por ruas mais estreitas ou por grandes avenidas
Cruzando viadutos e túneis
Passam-se dias e noites
Passam-se dias e noites
rasgando o espaço, eu sinto o sol
Batendo em minha cara
Eu tenho a força, eu sou veloz
No mach 5 em alta velocidade
Em alta velocidade

Deixe um comentário

Arquivado em cinema, história em quadrinhos, Música

repórter eço

E não é que tem um vídeo no youtube no qual entrevisto o produtor alemão Holger ‘Smash TV’ Zilske… A entrevista está na página da D-Edge TV, que tem entrevistas com outros DJs. Aqui embaixo dá pra assistir ao vídeo (feito depois de muitas cervejas!)…

1 comentário

Arquivado em club, Música, vídeo

de olho no cerrado

Minha amiga fotógrafa Cristina Gallo apresenta uma série de imagens de plantas do cerrado no blog dela durante esses dias. Na foto acima está uma fruta “póco-póco”.

Deixe um comentário

Arquivado em fotografia

a seguir cenas dos próximos capítulos

Ainda estão pensando no minimaumau de outro post? hahahaha Techno fuckrocks!!! E antes de eu fechar esse portal com vocês pra me jogar, resolvi anotar aqui no blog meu roteirinho básico pra semana multimídia que começo daqui a pouco. … Estou conversando com o Vitor do Oblivion (que você leu aqui) via msn ao mesmo tempo. … Então é aqui que começa:

QUARTA – Festa de 11 anosdo site Fiberonline no Vegas, com Oblivion (que finalmente vou ver e ouvir ao vivo, depois de muitos meses em digital-just!) + Database + uma pá de DJs. O Database fez um remix bem legal pra uma faixa nova do Digitaria que dá pra ouvir no site do selo Acid Rockers, recém-inaugurado pelo próprio Digitaria. Mas o Vitor me passou um live set at home muito bom do Oblivion. As tracks estão muuuito boas! Parece que é isso que vão tocar hoje!

QUINTA – Tá rolando o bazar do João Pimenta essa semana, e vou tentar passar pra ver se o saldão tá bom. À noite tem a abertura do mini-festival On_Off Experiências em Live Image, no Itaú Cultural. Na primeira noite o japonês Ryoichi Kurokawa apresenta o trabalho “cm: av_c”, na sexta ele mostra “Parallel Head. Sábado tem Embolex e domingo, Maxifagia. Então pra se jogar e ver o que o povo das imagens anda armando. Falando nisso, em breve será remontada a videoinstalação do DuVa (VJ, videomaker, videoartista – escolha o seu!) feita pro SonarSound São Paulo em 2004. Como destruir uma parede à marretadas…

Kurokawa live image

SEXTA – O festival Anima Mundi exibe no Memorial da América Latina o filme “Princess”, dirigido pelo dinamarquês Anders Morgenthaler, que por sua vez trabalho no estúdio Zentropa do perturbador Lars von Trier. Será que é Dogmanimação? Li que o filme trata de pornografia e deu muita discussão na Dinamarca, primeiro país a legalizar a indústria pornô. Enquanto muitos dinamarqueses (que devem lucrar com essa indústria) dizem que cada um deve cuidar do seu nariz e que afinal pornografia compra quem quer. O diretor contesta e diz que as pessoas que vivem na prostituição têm realmente muitos problemas psicológicos. Isso tudo por causa dessa animação que mistura várias técnicas em uma hora e 20 minutos. Os personagens são um padre, a irmã prostituta de luxo e o filho dela de 5 anos. O trailer segue abaixo, e é beeeem legal!

Na sexta ainda tem show da banda Stop Play Moon num lugar que não tem nome. É isso mesmo!, não tem nome e é de um francês e não sei muito mais about. Mas o Ricardo Athayde, do SPM, convidou. Eu não sei se é festa privê ou não… O STP é legal, tocou em Paris e Londres e no Motomix no mês passado. Se descola!

1 comentário

Arquivado em cinema, Música, Moda

mini mau / mini bom

Era uma vez o hardtechno, bombou até dizer chega. Ana & David são os expoentes brazucas, que hoje vivem em Berlim. Na seqüência vieram o electroclash (Fischerspooner, Larry Tee) e o electro (DJ Hell, Miss Kittin), isso foi em 2000/2003. Pouco depois (2005/2006) despontou o electrohouse que reinou nas pistas e centenas de DJs encheram os cases de Tiefschwarz, Mandy e Benny Benassi. Daí veio a enchete minimalista puxada por Richie Hawtin e todos o povo dos selos Minus, BPitch Control, Wagon Repair, Ghostly International etc. etc. etc. É claro que no meio disso tudo sempre teve de tudo – house, techno, hardtechno, electro, drum’n’bass, break… Agora tem a leva de nu-house/space disco que eu não sou muito fã mas está dando o que falar e o que dançar nas pitas do planeta.

Hoje estava lendo o blog do Guigo Monfrinato, no site Essential, e ele fala que agora todos os DJs querem tocar minimal techno. Bom, o que se nota na verdade é que esse gênero virou moda assim como o electrohouse e invadiu as raves Brasil afora (dizem que as raves serão proibidas no país; porque não representam mais o que representavam no seu princípio). O minimal techno ganhou fama com a turma de Berlim – Ellen Allien, Ricardo Villalobos e cia. – a partir de 2006 principalmente. Mas muito antes disso, nos anos 1990, Richie Hawtin ou Plastikman (ainda vivendo entre Canadá e Estados Unidos e agora está em Berlim) e Jeff Mills soltavam seus petardos minimalistas. Mas se pensarmos um pouco mais vamos encontrar Steve Reich e Philip Glass criando obras minimalistas nos anos 1970/1980. Deles deve ter derivado a inspiração para batidas mais calmas de Hawtin e Mills e tantos outros produtores que emergiram com a música eletrônica a partir do final dos 1980.

Mas continua essa onda de minimal techno, que um dia ele se sobressaiu na mídia, nos ouvidos dos ravers/clubbers e na cabeça dos promoters e invadiu o imaginário geral. Pode-se dizer que o termo minimal generaliza vários estilos que diminuíram as BPMs, do electro ao techno à house. Quem diz que toca minimal, que curte minimal, como se fosse a coisa mais hype e original do mundo tem de pensar bem se é isso mesmo ou só o modismo da hora.

Pra mim, quanto mais eclético e inusitado o set de um DJ melhor. Se tem minimal tudo bem, eu gosto do gênero, mas é bom misturar outras coisinhas pra dar um molho, pra temperar o caldo e dar aquele sabor especial.


2 Comentários

Arquivado em club, Música