Arquivo da tag: renato de cara

artes na semana

FALTA DE MEMÓRIA – a repórter/clunista da FAlha de S.Paulo, Adriana Küchler,  diz neste domingo na revista “são paulo” que o MAM agora quer ser moderno e vai colocar DJs nos vernissages. Há uns anos, o mesmo MAM tentou fazer isso e até lançou uma série de CDs, acho que 3, de lounge music francesa. A empreitada do museu não foi longe e se acabou, os venissages eram meio flopados e frequentados por gente que não curte música eletrônica e hip hop, que será o som da próxima investida no dia 19. Até a dupla MixHell – Laima Leyton trabalhou anos no MAM – tocou num desses vernissages modernosos e ficou por isso mesmo. A ver…

NOVIDADE – Na terça (12/4) acontece vernissage da primeira exposição individual de Leandro Cunha na Galeria Concreto. Provocativo e bem-humorado, Leandro intitulou a mostra de “Você gosta de Picasso?”, um trocadilho de cunho gay. O artista se apropria de imagens e ideias de gente com Picasso, Warhol, John Waters e Carlos Zéfiro com releituras que misturam diversas técnicas de street art.

Jurandy Valença e Renato de Cara montam exposição

RETROSPECTIVA – No sábado (16/4) acontece abertura da exposição do Renato de Cara na Rua Libero Badaró 336, 3o. andar, Centro. A mostra é uma retrospectiva do processo criativo do fotógrafo exposto em um espaço não usual para as artes plásticas. Estarão reunidos dezenas de cadernos, objetos e fotografias, que compõem trinta anos de criação do artista. São mais de 100 obras, com curadoria de Jurandy Valença. Renato de Cara é o mentor da Galeria Mezanino, espaço itinerante que começou na Banca das Camisetas e agora está hospedada na loja do Mercado Mundo Mix, na Rua Augusta.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Artes, artes plásticas

mundo da lua

//img443.imageshack.us/img443/5205/cimg3735eg8.jpg” cannot be displayed, because it contains errors.

Foi uma ótima surpresa assistir ao pocket show da banda Stop Play Moon na Galeria Mezanino, no sábado passado. O som é realmente refinado, tem um tom dark e até lembrei do álbum The Top, de 1984, do The Cure, mas que também soa como as novas velhas sonoridades de tantas bandas atuais, como Portishead e Goldfrapp de quem eles dizem ter influência. Mas comparações só servem para tentar descrever sem exatidão, tem de ouvir mesmo e se deliciar. Geanine Marques tem a voz leve, gostosa e simpática; Ricardo Athayde e Paulo Bega estão tocando muito bem, criam texturas e solos interessantes. Depois do show, que fez a pequena galeria lotar, Geanine e Ricardinho me disseram que viajam para Europa onde se apresentam em Londres e Paris. Tomara que outras cidades do Velho Mundo possa degustar essa pérola do underground brazuca.

Lá na Galeria Mezanino estão expostos trabalhos de Paulo Bega. Fotografias em preto e branco mostram mulheres-fantasmas ao lado de assemblages e colagens de fotos coloridas. Me parece um universo etéreo, mágico, reflexivo, de pura sensação. Meu olhar se perdeu entre as imagens e depois meus ouvidos perceberam a trilah sonora certa pra tudo aquilo – Stop Play Moon.

A Galeria Mezanino é projeto curado pelo fotógrafo Renato de Cara e está instalada na loja VROM (al. Lorena, 1922).

A música abaixo chama-se “Huhu (Stop thinking about)”

3 Comentários

Arquivado em artes plásticas, fotografia, Música