vazio, o case que dá o que falar

imagem009
sabe que eu estive só uma vez na bienal, pra ver a performance do fischerspooner e logo senti que a favelização da bienal, que começou faz tempo, tá incrível agora! o terceiro andar parece mais vazio e pobre que o segundo que está efetivamente vazio. vazio porque querem. li depoimento do eli sudbrack, do grupo avaf que fechará a exposiçnao, dizendo que a curadoria deveria ter deixado as pichações e todas as manifestações das pessoas, não deveriam ter apagado. parece que só o mauricio ianez conseguiu mostrar (parte) da sua elogiada performance no tal segundo andar do vazio. depois teve gente que preferiu pedir permissão pra curadoria pra usar o espaço. o espontâneo não pode mesmo acontecer por lá. mas acho que manter a ‘memória’ que surgiu no vazio da bienal seria uma boa saída pra democratizar, digamos assim, o espaço elitista da tal alta arte, e ainda fazer uma bela leitura do que pensam e como agem as culturas urbanas dessa megacidade. seria até mesmo estar mais atento ao nosso tempo, o tal ‘contemporâneo’, onde a interação é sempre muito bem vista para educar, para vender, para divertir… enfim, o que eu vi e adorei lá foram os pichadores invadindo tudo, invadindo o quadrado dos artistas. presenciei a curadora (ou assistente) ana paula cohen dando de dedo na cara de um pichador. uma cena patética, mas enfim, aplaudi os pichadores e fui pro fischerspooner e não voltei mais lá. me deu um vazio e não voltei ainda ao ibirapuera.

depois li entrevista do cassey spooner na folha de s.paulo falando sobre o caos que foi vir à bienal. li também do ótimo trabalho do mauricio ianês. por fim acabo de ler uma crítica ácida do dênis rodriguez no blog dele bastante pertinente. ainda bem que não perdi meu tempo hoje indo até o ibirapuera pra ver a performance dos mexicanos los super elegantes. minha amiga silvia nem contou nada quando me ligou da bienal hoje à noite, mas o texto do dênis desmontou ainda mais minha vontade de voltar à bienal e rever tudo. afinal posso mudar de opinião. mas vou ver o avaf na semana que vem, e no blog do vitor ângelo tem um texto bom também sobre o avaf que deu respaldo pros aravanados e etc. etc.

as fotos eu fiz com celular na noite da pichação e do fischerpooner.

imagem014

imagem015

imagem010

1 comentário

Arquivado em artes plásticas

Uma resposta para “vazio, o case que dá o que falar

  1. a cena da ana paula cohen foi patética mesmo, só mais patética foi a postura de curadores e artistas tão contemporâneos se calando diante do evento dos pixadores ou se colcoando contra, uma contradição como demonstrei no http://dusinfernus.wordpress.com/2008/11/13/a-pixacao-e-a-arte-contemporanea/
    a arte contemporânea de vassalagem mostra sua cara e só o Eli teve culhão de entender o significado de tudo aquilo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s