parada de lucros

Parada Gay em frente ao MASP

O que se vê é um carnaval bem agitado. Se o desfile acontece hoje, domingo, na Avenida Paulista, os bailes aconteceram em diversos salões da cidade. Alguns espertos aproveitam a invasão gay e fazem 4 ou 5 noites carnavalizadas, como a The Week que é a casa fina das bis, com ingressos vendidos junto com os pacotes turísticos que incluem hotel, passagens de avião, translado, café-da-manhã. A viagem tem também parque de diversão com direito a beijar o namorado no Play Center. E é claro que a comunhão gay e moda ganha impulso; a rua Oscar Freire viu hordas de gays flertando com vitrines e se jogando nas compras. Na sexta-feira os hotéis da região da Avenida Paulista – Jardins e Consolação – avisavam no noticiário que a lotação já chegava a 90%. A sauna 269, aqui do lado de casa, teve movimento intenso o feriado todo e no sábado havia um ponto de táxi em frente à casa, coisa que nunca acontece, por causa da ferveção. Até as clinícas de depilação andaram abarrotadas porque tem muita barbie que não suporta pêlos. Li no site MixBrasil que a loja da Calvin Klein vendeu pencas de cuecas! Fetiche padrão.

 Na verdade, o que a cidade ganha com a Parada Gay além da visibilidade de gays e lésbicas? Um bom dinheiro! O negócio cresceu tanto (ops! tô falando da economia!) que o Ministério do Turismo tem um trio elétrico na Parada. Fora que a Avenida Paulista é tomada por ambulantes vendendo de tudo para as bis, e até os DJs levam um troco nos trios elétricos. Li nessa semana que a organização da Parada Gay pretende ou pretendia cobrar entre 15 e 30 reais para as pessoas terem acesso à Avenida Paulista e desfilar ao lado dos carros; coisa comum no carnaval de Salvador onde se cobra o tal do abadá – um mísera camiseta – para ficar dentro do cordão de isolamento perto dos carros de som.

No portal G1, da Rede Globo, leio: “Segundo a São Paulo Turismo (SPTuris), a Parada Gay de São Paulo é o segundo maior evento da cidade em número de turistas e em movimentação financeira relacionada ao turismo. Na edição de 2008, a empresa estima que 327 mil pessoas de fora da capital paulista virão prestigiar o evento. A previsão é que, desse total, 5% sejam estrangeiros. Os turistas devem movimentar R$ 189 milhões e gerar e manter 13,5 mil empregos diretos e indiretos, segundo estimativa da SPTuris.”    

2 Comentários

Arquivado em cidade, sem categoria

2 Respostas para “parada de lucros

  1. Mr. I, quando eu leio esses números, fico imaginando se respeito, dignidade e direitos não serão conquistados pela perspectiva do poder econômico das bis. Esse é o cenário mais enfatizado. Será esse o caminho? O melhor caminho?

  2. Parabens pelo blog!
    Estou enviando esse site pois acredito ser muito pertinente com o assunto
    trioeletrico.net.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s